domingo, 25 de agosto de 2013

Como se tornar um cuidador de idosos

Foto: Thinkstock

Envelhecer faz parte do ciclo natural da vida, não há como mudar isso. E, geralmente, a medida que a pessoa envelhece, aumenta também o grau de dependência dela por pessoas que a auxiliem até mesmo em tarefas rotineiras.

Independente do grau de dependência do idoso (em tese, a pessoa com mais de 60 anos), o importante mesmo é que esse processo ocorra de modo digno para ele. Pensando nisso, muitos têm achado uma solução prática para cuidar de seus entes queridos que agora estão mais velhos: contratar os serviços de cuidadores.
A necessidade por tais profissionais tem aumentado, pois conforme os últimos dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o número de idosos dobrou nos últimos 20 anos, somando mais de 23,5 milhões de pessoas, sendo que destes mais de 3,8 milhões possuem algum grau de dependência. O estado do Rio de Janeiro tem o maior percentual em relação a sua população, 14,9%, segundo a pesquisa. Em seguida vem o Rio Grande do Sul (14,7%) e São Paulo (12,9%). Em todas as outras regiões do país - norte, nordeste, sudeste, sul e centro-oeste - o percentual de idosos supera o de jovens, com exceção do Amapá.
Esses dados ajudam a dimensionar o tamanho do mercado e a possível demanda para este tipo de serviço, além de confirmar que o trabalho de cuidar de idosos vem sendo cada vez mais direcionado para os cuidadores, em vez de ser deixado a cargo apenas de familiares, de modo informal, ou mesmo de asilos ou casas de repouso.
Guillermo Lazaroff, sócio-diretor da Home Angels de Porto Alegre no RS, empresa especializada no segmento de cuidadores de idosos, salienta que "o aumento na expectativa de vida do brasileiro tem gerado diversas oportunidades de negócios voltados a população com mais de 60 anos. O crescimento na renda das famílias e a menor disponibilidade de tempo livre dos filhos e responsáveis refletem em uma busca maior por serviços de cuidados profissionais aos idosos tanto em casas geriátricas como em sistema home care."
Para trabalhar como cuidador de pessoas com necessidades especiais, principalmente idosos (com ou sem limitações), a pessoa deve estar preparada para entender às expectativas dos que estiverem sob seus cuidados e ainda saber respeitar a individualidade de tais. Ainda segundo Guillermo, o profissional deve gostar do que faz. "Assiduidade, responsabilidade e comprometimento são fundamentais para o sucesso de quem quer dedicar-se a cuidar de pessoas", complementa. Com respeito à formação ele alerta que "experiência é sempre importante, mas o curso de formação pode suprir a falta desta." A remuneração média para esse profissional costuma variar de um salário mínimo a R$ 1.500,00, mais horas extras, adicionais noturnos e demais benefícios.
Hoje em dia podemos encontrar diversas instituições que ministram cursos com o objetivo de orientar e ensinar os principais afazeres do cuidador de idosos e que habilitam para o trabalho em asilos, clínicas de repouso ou para prestar o serviço a particulares. Os cursos instruem também sobre quais habilidades e competências desenvolver, abordam o mercado de trabalho, o processo de envelhecimento, estatuto do idoso, ente outras informações. Uma dessas instituições é o SENAC-RS e SENAC-SP, que têm como pré-requisitos o ensino fundamental e 18 anos completos . Você pode consultar também o SENAC da sua região.
O curso de cuidador de idosos também pode ser encontrado na modalidade a distância, pela internet. O site iped.com.br oferece o curso on-line de cuidador de idosos, em uma versão grátis com certificado digital e também em versão mais completa com certificado impresso, por um valor bem acessível. Outro curso grátis de cuidador de idosos é oferecido pela Prime Cursos com um conteúdo programático bem interessante, abrangendo aspectos como: higiene pessoal, nutrição, saúde na terceira idade, e muito mais.
Trabalhar como cuidador de idosos exige responsabilidade e disposição para cumprir tarefas e horários. Mas, como destaca Sunamita Siebra, cuidadora a quatro anos pela Home Angels, "é um trabalho onde sua principal tarefa é levar coisas boas para as pessoas. Os idosos têm sua bagagem, experiência e histórias fascinantes. Sempre falam de Deus, esperança, persistência, foco e felicidade. O retorno profissional é imenso. Você cresce, aprende, e, principalmente, é valorizado. Isso é motivador."


Nenhum comentário:

Postar um comentário